Translate

GNR vai ter viaturas de patrulhamento equipadas com desfibrilhador




O ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, considerou hoje "muito importante" que a GNR possua viaturas de patrulhamento equipadas com Desfibrilhador Automático Externo (DAE) e disse que o projecto vai ser alargado, gradualmente, a todo o país.
"A ideia é que seja alargado a outros comandos e a outros territórios do país. Vamos fazê-lo de forma gradual" porque "envolve a aquisição de algum equipamento, mas também a formação dos militares", prometeu o governante.
Miguel Macedo falava aos jornalistas na vila medieval de Monsaraz, no concelho alentejano de Reguengos de Monsaraz, depois de participar na cerimónia de apresentação da primeira viatura de patrulhamento da GNR equipada com um DAE.
Este projecto da GNR arranca no Alentejo, mais precisamente com esta primeira viatura pertencente ao posto territorial de Telheiro/Monsaraz, o que transforma esta localidade na primeira, a nível nacional, a dispor de um carro de patrulha com esta valência.
No âmbito da iniciativa, as normais viaturas de patrulhamento passam a estar equipadas com DAE e os militares a deterem formação específica e certificação na utilização do equipamento, para resposta a casos de emergência de paragem cardiorrespiratória (PCR).
O DAE é um dispositivo electrónico portátil que analisa o ritmo cardíaco em situações de PCR, aplicando nas situações indicadas um choque eléctrico ajustado que visa retomar um ciclo cardíaco normal e, assim, recuperar a vítima.
"É uma componente muito importante de proximidade, de apoio e diversifica a actividade da GNR, muito embora não a desvie da sua missão principal que é de segurança", elogiou o ministro.
A GNR "não vai andar à procura de quem precise" de ser assistido com recurso ao DAE, mas o equipamento, dada a proximidade da Guarda em relação à população, pode fazer a diferença, frisou.
"Muitas vezes, a GNR é a primeira entidade que chega junto de uma situação destas [com vítima em paragem cardiorrespiratória]. É bom que possa dispor de um equipamento que faz a diferença entre a vida e a morte", salientou.
Neste tipo de cenários, continuou, não possuir um DAE "pode significar a morte, porque só 3% das pessoas é que se salvam", enquanto, com um equipamento destes à mão, "há a possibilidade de 74% das pessoas sobreviverem".
"É uma enorme diferença", referiu Miguel Macedo, considerando "muito positivo" e "significativo" este projecto da GNR.
Questionado ainda pelos jornalistas sobre os dois militares do Destacamento de Trânsito de Torres Novas da GNR suspeitos de corrupção, o ministro da Administração Interna escusou-se a fazer qualquer declaração.
Para a Guarda, a primeira viatura com DAE hoje apresentada representa "uma enorme mais-valia no início do socorro a vítimas de paragem cardiorrespiratória, até chegada de ajuda diferenciada".
Depois de Monsaraz, a GNR prevê novas viaturas com este equipamento no posto territorial de Vendas Novas e no posto de trânsito de Estremoz.

Lusa/SOL - 21 de Março, 2014

Crianças das Caldas aprendem suporte básico de vida



Duas dezenas de enfermeiros das Caldas da Rainha uniram-se para, em regime de voluntariado, proporcionarem a 600 alunos do ensino básico ensinamentos sobre como prestar suporte básico de vida em casos de emergência.

A ideia partiu de Nuno Pedro, enfermeiro de emergência pré-hospitalar, que desafiou os colegas a iniciar um projecto que considera pioneiro em Portugal e que consiste em levar às escolas básicas da cidade das Caldas da Rainha uma formação em suporte básico de vida (SBV).

Vinte enfermeiros responderam ao repto e aderiram à iniciativa que, na quinta-feira, teve início na escola básica de Santo Onofre, onde 18 alunos do 4.º ano de escolaridade ouviram os ensinamentos das enfermeiras Ana Fragoso e Mafalda Vala.

“Imaginem que entravam na sala de aula e encontravam a professora deitada no chão”, desafiou a primeira, recebendo, mesmo antes de qualquer pergunta, a pronta resposta da turma: “chamávamos o 112”.